MCTI promove série de webinários sobre fundos patrimoniais

Ideia é buscar diferentes soluções para driblar a crise econômica e manter os investimentos em ciência, tecnologia e inovações que são essências para o crescimento de toda grande nação
por ASCOM - publicado 19/08/2020 16h37. Última modificação 27/08/2020 17h53.

ASCOM/MCTI

ASCOM/MCTI

WEBINAR MCTI - FUNDOS IMOBILIÁRIO

Os investimentos em ciência, tecnologia e inovações fazem parte da receita de grandes nações para sair de crises, alavancar a economia e desenvolver seus países. Com a crise econômica global decorrente da pandemia de coronavírus se faz necessário cada vez mais criatividade para buscar diferentes maneiras e soluções para promover o setor. Um bom exemplo de investimentos são os fundos patrimoniais (endowments) que são financiamentos formados por recursos provenientes de doações de pessoas físicas e/ou pessoas jurídicas. Para debater este tema de tamanha importância o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) promoveu nesta quarta-feira, 19, o primeiro da série de quatro Webnários sobre Fundos Patrimoniais (endowments).

 

O secretário de Planejamento, Cooperação, Projetos e Controle (Sepla/MCTI), Marcelo Meirelles, explica que o tema começou a ser debatido ainda na transição de governo no início de 2019. “Entendemos a ansiedade de algumas pessoas, mas como eu sempre falo, os fundos de endowments dos EUA têm mais de 200 anos. Queremos construir um caminho que a gente possa utilizar os endowments para promover a ciência e a tecnologia em nosso país”, declarou.

 

O ministro do MCTI, Marcos Pontes, fez questão de cumprimentar a equipe responsável pelo trabalho e por essa nova maneira de pensar fundos, de promover o financiamento da ciência e tecnologia no país numa meio de uma crise econômica. “Com todos os impactos da pandemia da Covid-19 temos nossos cientistas numa luta muito grande para encontrar soluções para combater o coronavírus. Também temos a parte de tecnologias e inovações que são essências para a recuperação do país, e essa recuperação passa por investimentos”, afirmou.

 

O ministro ressaltou ainda ter conhecimento que, por conta da situação econômica que o país enfrenta, o orçamento para 2021 terá cortes em vários setores, inclusive afetando o MCTI. Por isso, segundo ele, soluções criativas com diferentes métodos que possam apoiar projetos prioritários como os fundos de endowments são possibilidades muito importantes. “Vemos esse tipo de investimento em outros países e precisamos ter aqui no Brasil também. Essa nova maneira de se pensar o financiamento de projetos possibilita alavancar soluções em áreas estratégicas, impulsionar a criação de novas startups, de novos produtos, novos serviços e novas tecnologias”, finalizou.  

 

Nas próximas três semanas, às quartas-feiras, entre 10h e 11h30 serão realizados a sequência dos webinário: “Vamos trazer convidados com diferentes vertentes e abordagens para que ao final a gente construa um novo fórum de discussão e possamos dar mais um passo nesse caminho para solidificar os fundos endowments, os fundos patrimoniais no país”, concluiu o secretário Marcelo Meirelles. 

 

 

Endowments

 

Os fundos patrimoniais, também conhecidos como endowment funds ou fundos filantrópicos, são fundos de caráter permanente formados por recursos advindos de doações de pessoas físicas e/ou pessoas jurídicas, os quais são investidos no mercado financeiro (inclusive em fundos de investimento) por gestor profissional, sendo que os rendimentos auferidos são revertidos para projetos relacionados à finalidade social atrelada às doações.

 

A ideia central dos endowment funds é assegurar a perenidade no financiamento dos projetos que motivaram as doações, já que somente os rendimentos advindos do investimento no mercado financeiro dos recursos doados será utilizado para custeá-los. Deste modo, o dinheiro doado em si estará sempre sendo reinvestidos para garantir que haja capital suficiente para a continuidade da iniciativa. Dado à lucidez dessa estrutura, os fundos patrimoniais vêm ganhando relevância nos últimos anos dentro do contexto nacional, principalmente, pela necessidade de implementação de um suporte financeiro para projetos e instituições sem fins lucrativos, no longo prazo, de forma sustentável e organizada.

 

Veja como foi:

 

https://www.youtube.com/watch?v=aFGFIhPyup4

Voltar ao topo